Caso Valensole

Tempo estimado de leitura: 3 minutos

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

Introdução

Em 1º de Julho de 1965 ocorreu um dos mais famosos casos ufológicos da história da Ufologia. Nessa data, em Valensole, na França, um agricultor testemunhou a aparição e pouso de um disco voador e posteriormente seus tripulantes.
O protagonista do caso, Sr. Maurice Masse, 41 anos na época, percebeu sucessivos estragos em sua plantação de alfazemas ocorrendo com certa regularidade. Ele resolveu flagrar os ladrões de alfazemas e para lá se dirigiu ao raiar do dia. Por volta das 6h30m da manhã, a testemunha chegou ao local mas não viu ninguém. Ele esperou um pouco, fumando um cigarro, escondido atrás de um monte de feno, quando ouviu como que um estranho assobio. Logo em seguida ele viu um surgiu aparelho voador que pousou nas proximidades do local onde estava, sobre a plantação de alfazema. De início ele pensou tratar-se de um protótipo de helicóptero ou algo do tipo. Ele rapidamente aproximou-se do local de pouso, passando por uma vinha com o objetivo de repreender o piloto e lhe dizer que fosse aterrissar em outro lugar. Quando ainda estava na vinha, a aproximadamente seis metros da maquina, ele percebeu que não se tratava de algo conhecido.
O aparelho tinha forma oval, com uma cúpula superior transparente e uma porta de acesso lateral. O objeto apoiou-se sobre seis pés finos e um grande pivô central. Seu tamanho era o de um veículo Renault 4 CV. Próximo ao aparelho haviam dois humanóides que aparentemente examinavam a alfazema. Eles estavam vestidos com um traje cinza verde, de uma só peça; com um pequeno recipiente preso no lado esquerdo da cintura; e um maior no lado direito. Sua altura era de aproximadamente 1,20 m; com cabeça grande, desproporcional ao corpo, olhos semelhantes aos nossos, mas com uma pequena abertura no lugar da boca. Não usavam capacetes, nem luvas: suas mãos eram pequenas, bem proporcionais, normais semelhantes às nossas.
Maurice saiu da vinha e os dois seres logo o viram. Não demonstraram surpresa ou medo. Um dos seres pegou um pequeno tubo de um dos estojos de sua cintura e o apontou na direção do cultivador que logo ficou paralisado. Durante aproximadamente 1 minuto os dois seres examinaram o Sr. Masse e pareciam trocar idéias entre si. Quando se comunicavam ouvia-se um ruído que saía de suas gargantas sem que as bocas se mexessem. Havia uma espécie curiosidade amigável em seus olhos. Após isso os dois pequenos retornaram para o aparelho. A porta fechou-se mas o Sr. Masse ainda pode vê-los dentro da cúpula.
Enfim, o aparelho levantou do solo seu pivô central, elevou-se lentamente de algumas dezenas de centímetros, seus seis pés começaram a girar cada vez mais rápido, e pôs-se rapidamente em posição obliqua (os dois seres que o olhavam de dentro da nave viraram-se no sentido da decolagem) e, ao fim de uns cinqüenta metros, o aparelho desapareceu bruscamente.
A testemunha, paralisada, pôde acompanhar toda a decolagem do objeto. Ele sentia muito medo e pensava que morreria ali, em pé, no campo. Após uns 20 minutos ele recuperou seus movimentos e se dirigiu rapidamente para casa.
Maurice Masse era um lavrador honesto, sincero e valente. Durante a Segunda Guerra Mundial fez parte do Movimento de Resistência Francesa, demonstrando grande coragem.

Vestígios

Durante investigações posteriores foram constatadas marcas produzidas pelos trens de aterrisagem e uma marca no centro produzido pelo pivô central. Dentro do burado a terra tinha a consistência de uma lama líquida que logo tornou-se dura como cimento. Além destas marcas havia um rastro por onde o objeto passou durante a decolagem onde a vegetação estafa afetada. Estas plantas secaram e morreram com o tempo. Dentro da marca principal as alfazemas secaram. Seus caules ficaram esmagados. Fora do circulo as plantas estavam normais. Por vários anos nada cresceu ali.
Dentro do circulo foram coletadas amostras de terra que foram submetidas à ultravioleta. Tal exame revelou que estas amostras tinham uma taxa de cálcio muito acima do normal na região.

Consequências

Além da vegetação local o Sr. Masse também sentiu os efeitos daquele avistamento. Ele rotineiramente levantava-se cedo e deitava-se tarde, sendo muito trabalhador. Ele não dormia mais que cinco horas por noite. No quarto dia após o incidente, ele se abateu, tomado por uma terrível vontade de dormir. Sua esposa e seu pai precisavam acordá-lo para que ele pudesse se alimentar. Ele também apresentava um ligeiro tremor nas mãos que durou ate agosto de 1965.

Fonte: Fenomenum

Você também pode se interessar...

Venha fazer parte do nosso grupo no facebook!